12 de abril de 2015

Comentários: O Apanhador no Campo de Centeio & 1984 - J.D. Salinger & George Orwell


 Eu resolvi fazer esse post porque estava em uma crise, (1) não queria fazer uma resenha porque provavelmente iria ficar muito longa e ninguém aguentaria ler e (2) eu precisava falar desses dois livros! Então resolvi fazer em vez de uma resenha aprofundada, apenas alguns comentários sobre a história e minhas opiniões.

 Vamos começar falando sobre o meu preferido, que é 1984 do George Orwell.



 Até hoje, eu não li um grande número de distopias, mas criei um amor incondicional por cada uma, e com 1984 não foi diferente, inclusive tornou-se a minha distopia favorita.

 A história se passa em um mundo totalitarista, onde á guerra nunca tem fim e a população é vigiada a todo instante pelo governo pelas chamadas teletelas. Winston vive em dúvida constante sobre a sociedade em que vive, sentindo se insatisfeito e incomodado com a sua vida. Ele é um membro do Partido Externo e trabalha para o Ministério da Verdade, local onde as informações são modificadas a todo minuto de acordo com as intenções do governo. E nesse livro seguimos uma pessoa que é contra o Partido o que é extremamente absurdo e inaceitável nessa sociedade.

 Esse mundo é muito mais complexo do que isso, e acho que o único jeito de você entender é lendo o livro, porque se eu fosse explicar aqui o post ficaria enorme. Porém podemos dizer que a sociedade é dividida em três grupos: o Núcleo do Partido que é composto das pessoas mais controladoras, o Partido Externo, composto pelos vigiados trabalhadores e os Proletas, do qual fazem parte as pessoas que vivem na miséria.

 Agora vamos discutir o que eu achei.


 Acho que muita gente tem medo de ler um clássico e não conseguir e por isso acaba nem iniciando a leitura. Mas se você faz isso, PARE! Porque você está se privando de emergir em histórias fantásticas e refletir muito com elas. Não posso dizer que não foi uma leitura difícil e que me tomou um bom tempo para ser finalizada, mas mesmo em passagens que o texto ficava cansativo não deixa de ser incrível.

 Esse livro me deixou no mínimo... perturbada. Isso não é uma coisa ruim, me abriu os olhos pra muitas coisas e a escrita do Orwell foi simplesmente magnífica, me senti totalmente emergida na história.  

 O final foi chocante, cheguei a ficar enjoada com a III parte. Ele mostrou que mesmo que tentamos ir contra um governo totalitarista sempre acabamos aceitando, por bem ou por mal, o que nos é dito (quem leu sabe que 2+2=5).

 Depois desse livro pretendo ler mais obras do Orwell (já estou com A revolução do Bichos aqui) ou até mesmo reler essa incrível obra algum dia!

 Bom, antes de começar a falar de O Apanhador no Campo de Centeio, queria deixar escrito dois quotes aqui que me marcaram muito:

“Enquanto eles não se conscientizarem, não serão rebeldes autênticos e, enquanto não se rebelarem, não têm como se conscientizar.” 

“Guerra é paz” – Esse trecho me marcou muito por conta de sua explicação, que vocês provavelmente só saberão lendo o livro ;)

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


 Sobre O Apanhador no Campo de Centeio: eu achei bom. Não achei o melhor livro do mundo e por isso dei 4 estrelas. Eu entendo sua importância e a do autor no mundo literário, mas para mim foi apenas mais uma leitura, que sim, me fez refletir sobre muitas coisas, mas não foi nada que o fez se tornar um preferido.

 O protagonista da história é Holden Caufield, um adolescente rebelde que ao ser expulso de um internato, aos 16 anos, filho de uma família rica, resolve passar um final de semana em Nova York, assim adiantando o confronto com seus familiares.

 Pra mim, o Holden é um jovem passando por um colapso nervoso. Ele apresenta sintomas de depressão devido aos acontecimentos recentes ao seu redor, como por exemplo a morte de seu irmão mais novo. Eu realmente gostei e me conectei muito com o personagem, o que foi um ponto positivo para o livro. 


  A história é contada pela perspectiva de Holden com a técnica de narrativa conhecida como fluxo de consciência. Apesar de ser um clássico, a leitura flui incrivelmente rápido e eu também me apaixonei pela escrita do Salinger.

 O livro é cheio de metáforas e simbolismos incríveis e bem sutis, eu mesma só consegui identificar dois, sendo eles o do chapéu (simbolismo) e a do título (metáfora).

 O titulo. Isso foi a melhor coisa do livro! Quando você finalmente entende seu significado, ele se torna o melhor título de livro de todos os tempos.  

 Eu sei que tem outras, mas essas duas foram as únicas que eu realmente entendi só por ler, outras como a dos patos só entendi depois de ver vídeos sobre o livro.


 Resumindo, eu acho que é um livro que todo mundo deveria ler pelo menos uma vez na vida, mas não vá com muitas expectativas pois pode ser que você não goste tanto.


                        Autor: George Orwell                      
Páginas: 414
Gênero: Literatura inglesa
Estrelas: ★★★★★
------------------------------------------------------------

Autor: J.D. Salinger
Páginas: 208
Editora: Editora do Autor
Gênero: Literatura norte-americana
Estrelas: ★★★★