5 de outubro de 2014

Resenha: O Doador de Memórias - Lois Lowry


 Eu li esse livro por causa do Hangout que o Olhos de Ressaca iria fazer (já fez, e adivinhem?! Eu perdi .-.), mas antes disso eu já tinha ouvido falar do livro por causa da grande divulgação que a Paris Filmes estava fazendo da adaptação cinematográfica do mesmo, que lançou mês passado. Porém eu não tinha ficado interessada na história, mas resolvi dar uma chance.

 Antes de falar o que eu achei de " O Doador de Memórias " da escritora Lois Lowry, vamos à uma breve sinopse.

A história se passa em um mundo distópico, onde tudo é perfeito, não a pobreza, medo, crime e nem dor. Porém ninguém decide o que quer, mas sim o governo.  Eles decidem quem vai ser sua família, o que você vai representar pra sociedade, qual será sua profissão, com quem você vai ter contato, simplesmente eles comandam a sua vida. Ninguém age contra isso, pois as pessoas só conhecem o mundo desse modo, todas as memórias de como o mundo era antes foram retiradas.

 Então, depois dessa breve apresentação de como funciona essa sociedade, vou lhes apresentar o Jonas.

 O Jonas, que é o nosso protagonista, está prestes a virar um 12, e está muito apreensivo, pois irá passar por uma seleção em que será designado para a profissão que irá seguir a partir dali e assim começar sua vida adulta.

 Como o governo controla tudo, eles observaram o Jonas  e todas as outras crianças que também estão prestes a virar 12 até esse momento de suas vidas, para poder saber a partir das características e gostos dessas crianças que profissão irão seguir.

 Mas algo inesperado acontece, no dia dessa seleção, Jonas é o último a ser chamado, o que não deveria acontecer já que ele é o número 19. Ele fica preocupado com isso, até que depois de todas as crianças serem designadas para suas profissões, ele é chamado e descobre que será o recebedor, e ele não tem a mínima ideia do que seja isso até conhecer o Doador.

 O Doador lhe mostra que antes de seu mundo ser como ele é, houveram guerras, desigualdades, cores (não mencionei antes, mas os personagens não enxergam cores) e muitas outras coisas que ele não sabia que tinham existido. E agora, sua função como recebedor é receber todas essa memórias, sendo elas ruins ou boas. A partir daí Jonas começará a se questionar sobre como é governada à sua sociedade.




 Eu achei a escrita muito fluída, a escritora descreve as cenas muito bem, o que torna a leitura super gostosa e rápida.

 Uma das minhas partes preferidas da história é quando o Jonas recebe a lembrança de como é a neve. É muito bacana ver o personagem sentindo a neve pela primeira vez, ele acaba passando o que ele está sentindo pra gente.

  Mas também há partes em que  ele passa coisas ruins, como dor e tristeza, e novamente a escritora consegue nos fazer sentir o que o Jonas está sentindo.

O livro acaba de um jeito bem " Uma aflição imperial " ( aquele livro que a Hazel de  '' A culpa é das estrelas " ama ), ou seja, a história acaba do nada e o que aconteceu fica pra imaginação do leitor decifrar.

 Eu achei o mundo futurístico criado muito bacana, mas o rumo que a história tomou não me agradou, acho que a escritora devia ter explorado tudo mais um pouco.

  Sei que tem uma continuação de mais 3 livros, mas ouvi falar que o próximo livro não é mais focado no Jonas e acho que não irei continuar com essa quadrilogia.

 Como eu li em PDF, não tenho muito pra falar da edição, só dizer que, na minha opinião, a capa é horrível e que também contém uma entrevista com  a Taylor Swift.

 Um livro rápido e gostoso de se ler, porém que deixou a desejar, " O Doador de Memórias " vai levar 3 estrelas!


Autora: Lois  Lowry
Skoob
Páginas: 192

Editora: Arqueiro

Gênero: Ficção Infantojuvenil  Americana

Estrelas: ★★★